Grite sua dor para fora. 

Bota tudo para fora. Agora. Tudo. Despeja. Fique bem.
Não guarda essa merda.
Mesmo se ninguém quiser saber. Não importa. Grita no travesseiro.
Certa vez, eu fui caminhar na Floresta da Tijuca com alguns amigos. Lá, no meio do mato, nós gritamos a plenos pulmões um grito primitivo que estava guardado no fundo da alma. É bom. É muito bom. Você vai se sentir bem depois. Grite sua dor. Coloque ela no mundo. Depois descansa. Relaxa e renasça para a vida que se desdobra lindamente na sua frente levando a um futuro maravilhoso. E não esquece de me chamar. Eu vou tanto para gritar na floresta quanto para comemorar a sua felicidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s