Eu espio com meus olhos. Especial. 

Eu não gosto de escrever com dor de cabeça. Na verdade, quem gosta de fazer qualquer coisa com dor de cabeça? Quando eu estou assim, tudo que eu desejo é um quarto escuro, fresquinho, em silêncio absoluto. Não essa luz da tela do celular na minha cara. Acho que todos os dias em que eu estiver com dor de cabeça, eu vou ter simplesmente que pedir desculpa por não escrever um texto mais elaborado.
Mas até que em algum momento seria interessante falar mais sobre essas dores de cabeça. Elas começaram quando eu era ainda muito nova e acontecem até hoje. Em menor frequência sim, mas acontecem. Naquela época, tinha toda uma questão emocional envolvida aí também, até eu ficava me culpando achando que eu estava fingindo às vezes. Mas hoje em dia eu tenho certeza de que não era isso. Eu exagerava de vez em quando sim, mas essas dores de cabeça me perseguem. A causa mais provável, aquela que sempre foi uma das minhas maiores desconfianças, vem das consequências do problema de visão. De duas coisas: ter que estar sempre forçando a vista, o que me faz comprimir os olhos e, muitas vezes, franzir as sobrancelhas e curvar as costas demais quando eu estou lendo ou escrevendo (e eu vivo disso, então…). Esses dias aconteceu algo que me deixou quase totalmente convencida dessa explicação. Eu comprei para o meu marido de presente um livro chamado Ligue Os Mil Pontos. Lembra daquelas revistas de atividades para crianças que tinham caça palavras, palavras cruzadas e aqueles pontinhos que você tinha que ligar para formar uma figura? Então. Ele adora essas coisas. Aí eu achei esse livro com 1000 pontos que, quando ligados, formam famosas obras de artes. Ele já fez o primeiro. Ficou bem legal, mas o ponto é que, apesar da folha do livro ser grande, do tamanho de um A3, os números são muito pequenos até para ele. Isso fez com que ele tivesse que ficar com as costas curvadas para fazer a atividade por uns vinte minutos. Ele ficou vinte minutos como eu fico sempre e isso causou muita dor nas costas e nos ombros dele. Eu sinto essa dor constantemente. Não quer dizer que, porque eu já estou acostumada com a dor que eu já não a sinto ou que ela não me faz mal. Eu acho que, quando eu faço mais esforço, ou estou mais tensa, essa dor nas costas causa a dor de cabeça. Eu já fui ao ortopedista algumas vezes, mas ele só passa relaxantes musculares e eu não quero ficar tomando remédio dia sim dia não. O que fazer, então? Bom, eu tenho feito alogamentos para tentar relaxar essa musculatura. Vamos ver se dá certo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s