Se hoje fosse meu último dia.

Se hoje fosse meu último dia,
Eu não faria nada extravagante.
Você a essa altura sabe tudo que eu iria querer para as horas derradeiras.
Se esse fosse meu último dia,
Eu ficaria amorosanente enrolada com você no sofá. E falaria até estrelas saírem da garganta das maravilhas que diríamos. E abraçaram forte até virar pó e quem sabe viraríamos um diamante com a pressão do aperto.
Ainda bem, meu amor, que esse não é nosso último dia e que temos uma vida inteira pela frente para vivermos todos esses magníficos momentos. Não percamos mais sequer nem um segundo de amor.

Poeira do espaço sideral.

Não importa quando acaba. Quando começa.
Ou o quanto dura.

De vez em quando eu sou tomado por este arroubo de desesperança,
Por essa angústia.

Mas eu acredito no sentido. Que existe um sentido. De verdade.
Um sentido humano.
Absolutamente humano.
Tão real, que no fundo é a única coisa que existe de fato e que verdadeiramente importa.

E o mais importante mesmo é estar vivendo isso tudo agora, aqui, com você.
Eu te amo. Muito.
Não importa quando, nem onde, nem como, nem porque ou até quando ou desde quando; importa que seja intensa, apaixonada, forte e profundamente.